Fim de janela é sempre mais agitado. Como ela fecha na próxima terça-feira, as propostas começam agora a chegar nas mãos do presidente Juvenal Juvêncio. No entanto, por enquanto ninguém está perto de sair.

Após recusar proposta do Metalist, Dagoberto despertou o interesse de outro clube ucraniano: desta vez foi o Shaktar Donetski que sondou o São Paulo. A negociação que empolgou alguns no Morumbi, no entanto, esfriou nos últimos dois dias, e alguns passaram a acreditar que o Shaktar manifestou interesse no atacante apenas para atrapalhar as investidas do rival Metalist. Juvenal continua querendo negociar o jogador.

O presidente também recebeu em mãos proposta do Shalke 04 (ALE) por Marlos, e sua primeira reação foi encontrar maneiras para segurar o jogador. Além disso, problemas judiciais do meia com antigos empresários complicariam uma negociação neste momento.

Miranda, como sempre, foi alvo de assédio, agora por parte do futebol espanhol. No entanto, a diretoria não gostou nada da forma como as coisas foram conduzidas. A proposta foi feita por telefone, e esteve muito abaixo das expectativas: apenas 2,5 milhões de euros. Não empolgou ninguém.

Quanto ao treinador, Paulo Autuori começa a ganhar mais força. Parece uma escolha óbvia, mas só agora Juvenal começa a se convencer de que ele possa ser uma boa alternativa para um momento de pressão.