Apesar do discurso oficial de que os contatos iniciais serão feitos somente depois de uma reunião na segunda-feira, o São Paulo já começou a se mexer para contratar um novo técnico. O nome do primeiro contactado não surpreende: Paulo Autuori.

Com contrato no Al Rayyan até o meio de 2012, Autuori disse que tentaria se livrar do seu compromisso e de uma alta multa rescisória – o tricolor já garantiu que não cobre multa de técnico nenhum.

Esta não é a primeira vez que o São Paulo tenta repatriá-lo. Em ocasiões anteriores, os valores vultuosos envolvendo o seu contrato foram empecilho. Além disso, Autuori é muito querido no clube árabe, o que sempre dificultou uma saída antes do término do seu compromisso. Mais uma vez, a diretoria considera a negociação complicada.

Por isso mesmo, o clube do Morumbi não fechou os olhos para o restante do mercado. Dorival Junior segue como nome mais forte, apesar de opiniões contrárias dando conta de que ele não seria um técnico de pulso firme. A corrente favorável a um treinador estrangeiro cresce e conta com gente de peso. Carlos Bianchi, que chegou a ser contactado pelo São Paulo após a queda da Copa do Brasil, segue como sonho de consumo. Diego Aguirre, do Peñarol, foi nome em pauta numa reunião entre Juan Figger e Juvenal Juvêncio na última quinta-feira.