Vou começar pedindo desculpas pela ausência nesses últimos dias. Muita correria… Mas vamos lá!

Há mais ou menos um mês, após um treino conversava com o (boa gente) Dorival Junior, tentando entender o motivo dele segurar o Keirrison por tanto tempo. Ele me explicava que não queria queimar o jogador, porque sabia que K9 sentiria todo o tempo afastado dos gramados. Até citei o exemplo de Cicinho, que passou um ano e meio na Roma sem sequência, e quando chegou ao São Paulo não correspondeu. Ele concordou.

Dorival fez o que pôde para poupar seu atacante, e mesmo quando o lançou, ele ainda deixou muito a desejar. Neste domingo, enfim, marcou. É bom destacar que Keirrison ainda tem um longo caminho a ser percorrido… Mas será que a falta de ritmo de jogo é o único fator que o prejudica?

Ouvi um comentário interessante hoje: o estilo rápido de jogo do Santos nunca foi o do camisa 9, que aposta mais no bom posicionamento. Keirrison seria o suposto substituto de André, mas a comparação não vale: atualmente na Ucrânia, o ex-companheiro de Neymar voltava muito mais para buscar a bola.

À parte do condicionamento e do ritmo de jogo, é preciso avaliar o que deve se esperar de Keirrison. Vale a reflexão.

Vergonha: Não posso deixar passar em branco a atitude vergonhosa da polícia local em agredir Marquinhos na saída de campo. Não é a primeira vez que vimos policiais interferindo de forma absurda em acontecimentos de dentro do campo. Polícia é pra ser solução, e não pra criar problema.

Guardadas as proporções, também não podemos deixar de destacar a atitude de Neymar no final da partida. A discussão com João Marcos, do Ceará, que gerou todo o tumulto, era totalmente desnecessária. Seu estilo de jogo é provocativo, e ele vai ter que aprender a lidar com quem ele acaba tirando do sério.

Anúncios

Fim de janela é sempre mais agitado. Como ela fecha na próxima terça-feira, as propostas começam agora a chegar nas mãos do presidente Juvenal Juvêncio. No entanto, por enquanto ninguém está perto de sair.

Após recusar proposta do Metalist, Dagoberto despertou o interesse de outro clube ucraniano: desta vez foi o Shaktar Donetski que sondou o São Paulo. A negociação que empolgou alguns no Morumbi, no entanto, esfriou nos últimos dois dias, e alguns passaram a acreditar que o Shaktar manifestou interesse no atacante apenas para atrapalhar as investidas do rival Metalist. Juvenal continua querendo negociar o jogador.

O presidente também recebeu em mãos proposta do Shalke 04 (ALE) por Marlos, e sua primeira reação foi encontrar maneiras para segurar o jogador. Além disso, problemas judiciais do meia com antigos empresários complicariam uma negociação neste momento.

Miranda, como sempre, foi alvo de assédio, agora por parte do futebol espanhol. No entanto, a diretoria não gostou nada da forma como as coisas foram conduzidas. A proposta foi feita por telefone, e esteve muito abaixo das expectativas: apenas 2,5 milhões de euros. Não empolgou ninguém.

Quanto ao treinador, Paulo Autuori começa a ganhar mais força. Parece uma escolha óbvia, mas só agora Juvenal começa a se convencer de que ele possa ser uma boa alternativa para um momento de pressão.

As reuniões no Morumbi sobre a contratação de um novo técnico andam numerosas e inclonclusivas.

Paulo Autuori, de fato, é o nome que reúne o maior número de adpetos, entre eles nomes de peso como Rogério Ceni e o diretor de futebol João Paulo de Jesus Lopes. O presidente Juvenal Juvêncio inclusive gosta muito de Autuori como pessoa, e até o ajudou com assuntos no exterior logo que saiu do país. No entanto, Juvenal ainda não está totalmente convencido de que ele seja o melhor nome para assumir a equipe em um momento tão turbulento. Além disso, o alto salário e o prestígio de Paulo Autuori no Catar intimidam o clube a fazer uma investida mais firme.

Antônio Lopes foi um nome sugerido pelos torcedores à diretoria do São Paulo na última segunda-feira, quando representantes de uma das organizadas estiveram no CT da Barra Funda. Juvenal até parou para cogitar (como tem feito com a maioria das sugestões que recebe), mas o delegado não goza do prestígio do presidente.

Vanderlei Luxemburgo é um nome que ainda conta com forte rejeição, mas este incrivelmente não é o fator que praticamente o tira da disputa. Além da alta multa rescisória, o São Paulo soube que o bom relacionamento de Luxemburgo com o presidente do Atlético-MG Alexandre Kalil atrapalharia qualquer negociação.

Abel Braga é caro, e Juvenal tem uma cisma com o treinador: há alguns anos, ouviu comentários sobre o relacionamento de Abel com jogadores que o deixaram ressabiado. Imagino que possa ser algo superável, mas sua vinda é vista com muita dificuldade.

Apesar de contar com adeptos no clube, nomes como Joel Santana e Maradona não são levados em conta.

Nenhum técnico até agora foi contactado de forma incisiva – até porque a diretoria acredita que, quando for de fato “pra cima” de algum deles, consegue fechar o negócio. A total indefinição preocupa porque Baresi encontra-se em uma situação insustentável diante de jogadores e comissão técnica. Nem o líder Rogério Ceni está feliz com o interino.

Cortando em miúdos: muita conversa e pouca decisão para um clube que quer um treinador novo pra ontem.

Durante a semana, fiz uma entrevista com o técnico do Corinthians Adilson Batista que foi exibida nesta 6ª, no Jogo Aberto. A idéia era traçar um perfil da figura, e por isso conversei com algumas pessoas que conviveram com ele para colher histórias curiosas e detalhes sobre sua vida.

O Adilson que conversou com a gente nada lembrava aquele carrancudo treinador tão criticado por parte da torcida do Cruzeiro e pequena parte da imprensa mineira. Nem vi sombra daquele Adilson que saía distribuindo patadas e chegou até a ser comparado com Muricy Ramalho no quesito.

Adilson é filho de pai corintiano, daqueles que, eufórico, carregou a criança pra todos os cantos no título de 77; é tão religioso que uma das primeiras coisas que faz quando viaja com seus times é perguntar na recepção do hotel onde é a igreja mais próxima, porque não pode perder a missa de domingo; não gosta do rótulo de técnico boleiro, mesmo participando de algumas atividades com bola com os seus jogadores; e nem se considera explosivo, apesar de ter se notabilizado pelo carrinho que deu na placa publicitária em uma partida entre Cruzeiro x Santo André (“Não vou fazer de novo. A não ser que a torcida, ou vocês jornalistas, peçam!”).

Desconfiado, já abriu as conversas com “o que você vai perguntar, menina?” “Um monte de coisas, Adilson. Não se preocupa”. Queixou-se da má alimentação, disse que precisa emagrecer para melhorar o colesterol. “É só dar uma corridinha na esteira, Adilson”. “Ah, eu prefiro o campo. Mas o joelho reclama”. No carrinho na placa, aliás, ele quase que arrebenta o joelho de novo.

Meio maluco? Jeitinho mineiro (apesar de não ser), acanhado no começo, Adilson já estava solto no final. É bom papo, boa gente, e bom treinador. Sucesso pra ele.

Quando Juvenal teima com alguma coisa… E ele teimou com Dagoberto. Apesar do atleta ter recusado a proposta de quatro milhões de dólares feita pelo Metalist, da Ucrânia, o presidente do São Paulo ainda tenta encontrar alternativas para viabilizar a saída do atleta.

Juvenal deu ouvidos a comentários vindos da Barra Funda de que o atleta vinha causando problemas no grupo. Nesta quarta-feira, reuniu-se com pessoas do clube para discutir as possibilidades financeiras de transferí-lo. O empresário Juan Figger tenta ajudar o mandatário na tarefa.

É importante ressaltar que não há mais nenhuma proposta por Dagoberto na mesa de Juvenal. Existe sim a esperança de que clubes estrangeiros utilizem os últimos dias de janela (que costumam ser movimentados) para preencherem as últimas lacunas e levarem o são paulino.

“Acabei a reuniao c Dago.. Torcedor o Dago quer ficar no SPFC e acredita q dara muitas alegrias ao torcedor!!Resumindo FICA no SPFC.!!!

Mais importante è q ele esta com muita vontade d ajudar o SPFC a buscar titulos.. Ele brigou muito p vir p SPFC e continuara se dedicando!!

A Proposta oficial chegou mas Dago optou pela permanencia Uma decisao dele q temos q respeitar Ele disse q SPFC È sua casa e permanece!!!”

Pronunciamento acima feito pelo empresário do jogador Marcos Malaquias, via twitter, confirmando a proposta divulgada pelo blog, e mantendo o jogador no clube. Apesar de já ter despertado irritação e impaciência em dirigentes e funcionários do clube, acredito que Dagoberto, desta vez, foi injustiçado. Mas a questão já não é mais esta: depois de quatro anos de São Paulo, ele pode reconquistar mais uma vez o torcedor (com o perdão da redundância)?

Sua trajetória no tricolor sempre foi tumultuada: chegou sob muita expectativa e forte investimento, demorou para se firmar, alternou titularidade e reserva (especialmente com a chegada de Washington no ano passado) e neste ano alcançou seus melhores números. Com 11 gols na temporada, as coisas pareciam caminhar para o jogador, até que todo o peso da eliminação da Libertadores caiu sobre suas más atuações contra o Inter.

Mais uma vez, Dagoberto terá trabalho.

Corinthians – Hoje estive no lançamento do calendário das festas para o centenário corintiano. Além do Ronaldo, do peso do Ronaldo, da volta do Ronaldo, da frustração com Ronaldo (…), outro assunto me chamou a atenção. Chicão é um ótimo zagueiro, mas Corinthians e o empresário do jogador realmente parecem não falar a mesma língua. O presidente Andrés Sanchez diz ter feito uma proposta de renovação de contrato, e esperar por um retorno. O repórter Marco Bello, da Transamérica, contava que entrou em contato com Bruno Paiva, representante do atleta, que por sua vez aguarda uma posição de Andrés.

Eu, hein.

A alta cúpula do São Paulo já dá como certa a contratação de Ilsinho, e tem até uma previsão de estréia para o lateral: a expectativa é de que ele seja autorizado a disputar um jogo oficial somente em setembro. Este é o tempo previsto para que a FIFA libere os autos do processo que ele move contra o Shaktar Donetski, da Ucrânia.

A Roma (ITA) demonstrou interesse em contratá-lo, mas Ilsinho precisaria de um passaporte italiano, já que não há mais espaço na equipe para estrangeiros.

Os detalhes entre Ilsinho e São Paulo já foram todos acertados, mas o jogador ainda não assinou nada com o clube do Morumbi.

Apesar da diretoria são paulina negar qualquer proposta oficial, um time da Ucrânia já se mostrou firme na tentativa de tirar Dagoberto do São Paulo. A oferta gira em torno de quatro milhões de euros, valor que agradou a cúpula são paulina.

O que pode emperrar a negociação são as muitas partes envolvidas: o clube teme que não haja tempo hábil para que o jogador e os empresários Malaquias entrem em um consenso com a diretoria do tricolor sobre a venda do atleta. Vale lembrar que a janela de transferências para a Europa fecha no final desta semana.

Desde o começo de agosto, o São Paulo procura propostas por Dagoberto e outros jogadores – o que não aconteceu em anos anteriores, quando o presidente Juvenal Juvêncio bancou a permanência de atletas como Hernanes e Miranda. Juan Figger, empresário bem quisto no clube, voltou nesta última semana ao Brasil e foi parte no processo de busca de times interessados nos são paulinos.

Miranda, cujo contrato vence no final do ano, não recebeu nenhuma proposta “mais firme”, e a diretoria não enxerga nele vontade de deixar o clube neste momento. Caso ele aguarde o final do contrato, pode lucrar mais em uma possível negociação, já que o São Paulo não seria mais detentor de parte dos seus direitos.

Enfim resolvi seguir adiante com uma idéia antiga e começar um blog. Espero que gostem! Será um espaço para notícias, bastidores, curiosidades, opiniões e muita discussão. Sugestões e críticas são muito bem vindos.

Um beijo a todos!