O São Paulo está bem próximo de oficializar a chegada do lateral direito Piris, do Cerro Porteño e da seleção paraguaia. O clube só aguarda que os trâmites burocráticos envolvendo a transferência de dinheiro sejam concluídos para poder anunciar o jogador. Como o clube não conseguiu concluir a negociação de Coates, e se arrasta para trazer Cañete depois de muito impasse, o assunto ainda é tratado com muita cautela.

O que chama atenção é o valor do jogador: um grupo britânico de investidores vai pagar quatro milhões de euros para adquirir os direitos do atleta. Piris tem 22 anos, é reserva da seleção paraguaia, e disputou a última Libertadores pelo Cerro Porteño.

Treinador – São Paulo e Adilson Batista entraram rapidamente em um acordo. O tricolor apresentou a proposta pelo treinador na última sexta-feira, e no dia seguinte fez o anúncio. Tudo isso depois de constatar o grau da dificuldade que seria trazer Paulo Autuori, com contrato vigente no Al Rayyan e uma multa de dois milhões de dólares que o protege.

Dorival Junior sempre esteve atrás dos dois na lista de preferências, e não somente pela multa de dois milhões de reais. Nos confrontos do Santos contra o São Paulo, quando Dorival ainda trabalhava na baixada, o treinador deixou péssima impressão para a diretoria e comissão técnica tricolor. Na percepção de alguns são paulinos, se mostrou um treinador de pouco equilíbrio emocional, que não sabia lidar com situações de pressão. Em determinado momento, chegou a chamar quatro alterações para o time. A perda do título mineiro, e o escorregão na final contra o Santo André (em que o Santos passou sufoco para levantar o título Paulista) também são lembrados e criticados.

Na última semana, o São Paulo entrou em contato com Luxemburgo para checar a situação do volante Willians. A negociação não irá ocorrer, não passou de sondagem. No entanto, um representante do clube ouviu de Luxemburgo que Willians não teria disponibilidade, mas que ele próprio, Luxemburgo, poderia ir para o São Paulo quando a diretoria desejasse.

Cuca também esteve na relação de técnicos que se ofereceu ao tricolor, mas foi vetado em diversas frentes. Rogério Ceni pouco teve a ver com a corrente contrária, mas membros da comissão técnica lembraram alguns casos do ex-treinador do São Paulo. Entre eles, quando Cuca discutiu com o médico do clube Dr José Sanches após o médico vetar o retorno de Cicinho para o campo em determinada partida.

* Depois de um mar de tweets em menos de dez minutos falando de Luxemburgo, vamos esclarecer? Disse que ele se ofereceu. Foi uma conversa bem informal. Ele já demonstrou vontade de treinar o São Paulo outras vezes, especialmente por ser um dos poucos clubes grandes pelo qual ele não passou. Importante diferenciar bastidores de negociação.

Anúncios